O aprendizado de cada dia – e as novas ideias que vêm com ele.

aprendizado-e-novas-ideias

O aprendizado de cada dia – e as novas ideias que vêm com ele.

Costumamos dizer que todas ideias surgem a partir de problemas, seja ele um problema de ineficiência em processo, alto custo para realizar alguma atividade, ou até mesmo atraso no uso de tecnologia. Para ter ideias, portanto, em  primeiro lugar, é necessário tomar conhecimento dos problemas –  ou, pelo menos, das dores que apontam para eles.

 

Tenha Contato com um Grande Número de Informações

 

Se você está lendo isso e quer empreender, mas não tem nenhuma ideia; ou até mesmo se já empreende e precisa ter novas ideias para não ficar para trás do mercado, faça as seguintes perguntas para você mesmo:

 

  1. Com qual frequência eu estou em contato com pessoas diferentes, fora do meu círculo de amizade?
  2. Qual a abrangência dos meus interesses? Com que frequência você está em contato com assuntos e informações sobre diferentes mercados?
  3. Com qual frequência você busca ouvir e entender pessoas que tem o ponto de vista diferente do seu?
  4. Quanto esforço você gasta diariamente para refletir sobre as novas informações ingeridas diariamente? O quanto você pensa, para cada informação absorvida, “será que daria pra ser feito de uma maneira melhor e diferente”?

 

Em suma, quanto mais aberto a novas informações – seja através de novos contatos com pessoas, jornal, livros, tv, etc – maior o estoque de ideias em potencial. Mas, como em qualquer outra coisa, para aprender é necessário reflexão. Não adianta estar em contato com todas essas novas informações se você não pensa “como eu posso usar essas informações para melhorar alguma coisa?”. É aí que você acaba entrando em contato  com as dores e os problemas.

 

Saiba Diferenciar Dor de Problema

 

As dores são os Sintomas. São reclamações como “É muito difícil conseguir chamar um táxi por aqui”; ou “faz tempo que não vejo fulano, como será que ele está?”.

 

O problema é o Diagnóstico, ou seja, as causa raiz do problema. Mas não se engane: Muitas vezes é bastante complicado saber qual o problema está causando as dores (e se duvida disso, pergunte ao seu médico).

 

Existem atualmente uma série de metodologias feitas para entender qual a causa principal de um problema. Uma que nós, particularmente, gostamos bastante é o “5 whys”.

 

Na maioria das vezes, também, fazer o diagnóstico errado é um grande problema pois os tratamentos devem ser diferentes, e muitas vezes, até, antagônicos. Imagine, por exemplo, que algum paciente tenha contraído dengue e fosse tratado como se o problema fosse apenas uma pequena gripe. Neste caso, não só o tratamento não surtirá nenhum efeito positivo como também fará que o paciente piore a sua condição, uma vez que a maioria dos remédios para uma gripe normal são contra-indicados no caso de dengue. Por isso é importante que se gaste tempo (e até dinheiro) com os Exames – certificando-se de que o problema a ser atacado é o causador principal da dor observada.

 

Foque em Resolver os Problemas

 

Portanto, tão importante quanto identificar quais são os potenciais problemas, é validar qual é o principal antes de atacá-lo.

 

Tomando como exemplo a dor “É muito difícil conseguir chamar um táxi por aqui”, é possível pensar em alguns problemas que podem estar fazendo com que essa dor aconteça:

 

  1. A demanda por taxistas é muito maior do que a oferta de táxis. Isso faz com que seja praticamente impossível encontrar algum que esteja livre, independentemente de o quão eficiente é o sistema para chamar os táxis.
  2. A demanda por taxistas é equivalente à oferta. O problema é que os taxistas em uma região não conseguem saber aonde o próximo passageiro irá chamar pelo táxi nas proximidades, então, como o passageiro e taxista simplesmente não se cruzam, a corrida não acontece.
  3. O problema é que o serviço oferecido é muito ruim. Por mais que existam taxis disponíveis e ele consiga saber aonde o próximo passageiro estará, os passageiros acreditam que simplesmente “é muito difícil conseguir um táxi bom por aqui”.

Cada um dos itens acima representa um problema potencial, e é impossível saber de antemão qual deles é verdadeiro sem ter uma validação. Pode ser até mesmo que os três problemas sejam verdadeiros, mas independente disso, é fácil de perceber que as soluções para cada um dos problemas é bastante diferente das demais – e atacar o problema errado pode acabar sendo bastante oneroso.

 

Aí está a importância da validação do Problema – ou do Diagnóstico.

 

Obs.: Empresas de sucesso que encontraram boas soluções para resolver as dores citadas:

É muito difícil conseguir chamar um táxi por aqui – Uber

Faz tempo que não vejo fulano, como será que ele está? – Facebook

Descobrir uma dor  que valha à pena a ser resolvida é apenas o primeiro passo quando falamos de inovação/startups, mas sempre é de extrema importância descobrir um problema que valha a pena ser resolvida.

 

Confira mais textos como este em nosso ebook recém publicado O Manual da Startup de Sucesso

Clique Aqui para acessar o ebook gratuito

 


Also published on Medium.

Cesar Vargas